Liberdade

Um dia, algures entre um sonho perdido e uma ilusão que se foi, decidi seguir em frente. Mesmo sem conhecer o caminho e este me parecer sem opções.

Um dia pensei: “ que burrice fiz eu?”. E acalmei o coração dizendo para mim mesmo que: “nada é definitivo”. E ao mesmo tempo, tudo é definitivo…

Um dia quis ser livre e descobri que aquilo que julgava liberdade era na verdade um série de pensamentos e conceitos que apenas eu sustentava.

E o tempo passou, e novos dias chegaram, como uma estrada - estendendo-se a meus pés.

E então, deixei de procurar chaves milagrosas que abrissem todas as portas, em todos os lugares.

E então, deixei de querer ser o mais alto, o mais esperto, o mais bonito, o mais rápido, o mais simpático. (a lista continua…)

E então olhei o verde, o amarelo, o azul, o vermelho, o rosa, o laranja. E deixei de me preocupar tanto com tudo e decidi soltar mais a imaginação.

E então percebi que este poderia ser o meu último dia na Terra.

E então, percebi em mim - quase sem querer - a liberdade que tanto procurei.

3 comentários:

Andreia disse...

Uau...
fiquei completamente sem palavras...

Ricardo Antunes disse...

Deve ser bom sinal... :)

Adriana ♣* disse...

Você é de todas as cores!

"Liberdade é como saborear um passeio de bicicleta sem precisar apostar corrida com ninguém. Não temos que ter essa ou aquela velocidade. Apenas pedalar. No nosso ritmo."

Ana Jácomo